História

A história do Beisebol no Estado de Mato Grosso começa com a vinda das primeiras famílias de imigrantes japoneses em 1953. Com o intuito de reunir as famílias vindas do Japão para confraternizar e matar a saudade da terra Natal, os imigrantes construíram a primeira sede (Kaikan) do estado, na Gleba Fio de Ferro (400 quilômetros ao norte de Cuiabá). No Kaikan, se realizavam as comemorações de fim de ano e ano novo, casamentos, festas e confraternizações. Nos meados de 1955, com o pátio da sede pronta, iniciaram-se as primeiras partidas de beisebol em solo matogrossense, como forma de lazer para se distraírem nos dias de folga do trabalho duro na roça.

Em 1961, foi criada o Centro Cultural Nipo Matogrossense na capital Cuiabá. Com colônias também em outras regiões do estado, a prática do esporte pelos imigrantes possibilitou, no início da década de 60, a realização das primeiras partidas entre as cidades de Cuiabá, Cáceres, Jurigue e Rio Ferro, a qual tinha uma das melhores equipes de beisebol do país e muito temida pelos adversários. O primeiro registro fotográfico do torneio data de 1964.

Durante os 30 anos seguintes eram comuns os torneios, geralmente acontecendo de uma a duas vezes por ano. Porém, no início da década de 90, com o início da era “Dekassegui”, muitos japoneses seguiram o caminho inverso de seus antepassados e foram trabalhar no Japão. Com isso a associação perdeu diversos membros praticantes e o beisebol praticamente acabou, devido à falta de jogadores.

10 anos mais tarde, em meados de 2000, a estagnação da economia japonesa e sucessivas crises econômicas, fizeram com que uma grande leva desses emigrantes retornassem ao país, reiniciando as atividades nas associações.

Devido à importância da comunidade, a cultura japonesa no estado cresceu e se espalhou. Atualmente a Associação Nipo Brasileira de Cuiabá e Várzea Grande conta com um grande número de não descendentes, que praticam o beisebol. Com as comemorações do centenário da imigração vieram grandes oportunidades para o esporte no estado. Com o apoio do governo japonês, em 2010, a associação recebeu o primeiro voluntário dedicado exclusivamente ao ensino do beisebol em Várzea Grande, o japonês Yuta Nakamichi. Ano após ano o esporte ganhou adeptos e foi melhorando gradativamente, principalmente as categorias de base (Crianças e Adolescentes). Em 2012, o clube recebeu o segundo voluntário, Hirofumi Takamaru, continuando o trabalho iniciado 2 anos atrás. Em 2014, foram realizados workshops nas cidades de Cuiabá e Cáceres, com a participação de uma equipe de Beisebol da Universidade de Nittai do Japão. Em 2015, as cidades de Cuiabá e Várzea Grande foram sedes do XIII Campeonato Sul Americano de Beisebol Adulto. Ainda neste mesmo ano, Shingo Kakishita, o terceiro voluntário japonês chega em Várzea Grande e pela primeira vez, uma equipe de beisebol infantil disputou o Campeonato Brasileiro em Marília/SP, enfrentando times com mais tradição no esporte. Também neste ano, Mato Grosso recebeu o ex-arremessador e jogador profissional do time japonês Yomiuri Giants Masaki Hiraoka que ministrou clínicas nas cidades de Cáceres, Cuiabá e Várzea Grande.

Com o apoio da Federação Matogrossense de Beisebol e Softbol e o Governo Japonês, o esporte é oferecido de maneira gratuita para toda a comunidade, fazendo com que o nível do esporte no estado cresça cada vez mais e ganhe destaque em âmbito nacional.

2018 - FMBS . Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e Hospedado por